A Residência Pedagógica e o Ensino Remoto: Os impactos na aprendizagem de Química em Manaus-Amazonas

Autores

  • Renato Ferreira Hosanah
  • Larissa Martins de Souza
  • Ercila Pinto Monteiro Universidade Federal do Amazonas/Docente permanente
  • Mirela Cristina de Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.48017/dj.v7i3.2217

Palavras-chave:

ensino remoto, aprendizagem, química

Resumo

Esta pesquisa teve por objetivo compreender os efeitos do ensino remoto emergencial na aprendizagem de Química em uma escola pública de Manaus-AM. O estudo foi realizado, por dois residentes da Licenciatura em Química da Universidade Federal do Amazonas, através do Programa da Residência Pedagógica, que registraram as narrativas de um (1) professor de Química da educação básica sobre a vivência do ensino remoto (entrevista) e acompanharam as aulas online do professor (observação não participante) por um período de dois (2) meses. As turmas envolvidas nesse estudo foram do 2º ano 2, 3 e 4, do turno vespertino. Os resultados mostram que as ferramentas e o potencial da Internet em tempos de globalização não significam novas formas ou práticas pedagógicas de ensino. Em Manaus, o projeto "Aula em casa" foi adotado para garantir a educação a todos, mas a dificuldade de acesso à internet foi um obstáculo. Entretanto, o ensino nas escolas continuou a ser uma reprodução do tradicional muito baseado no conteúdo e na transmissão de conceitos, o que permeou uma intensa "atmosfera de desmotivação" na sala de aula e dificultou o estabelecimento de uma rotina de trabalho.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Andrade, F., Massabni, M. L., & Galindo, V. (2011). O desenvolvimento de atividades práticas na escola: um desafio para os professores de ciências. Ciência & Educação (Bauru) [en linea], 17(4), 835-854.

Brasil. Portaria n.º 188, de 03 de Fevereiro de 2020. Declara Emergência em Saúde pública de Importância Nacional (ESPIN) em decorrência da infecção humana pelo novo Corona-vírus (2019-nCov). Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, verificação 24-A, Seção 1- extra, p.1.

Camargos, A. P. V., Xavier, T. G., Rosa, V. H. S, Santos, M. G. M., Oliveira, R. E. V., & Pereira, M. S. C. (2018). A importância de aulas experimentais no aprendizado de química no ensino Médio. Braz. Ap. Sci. Rev., Curitiba, v. 2, n. 6, Edição Especial, p. 1916-1920.

Clandinin, J. D. & Connelly, Michel F. (2000). Narrative Inquiry - Experience and Story in Qualitatuve Research. 1ª edição, San Franscisco: The Jossey-Bass education series, p. 211.

Creswell, J. W. (2007). Projetos de Pesquisa Métodos qualitativos, quantitativos e mistos. Tradução Luciana Oliveira Rocha – 2 ed. – Porto Alegre: Armed.

Cohen, E.G., & Lotan, R.A. (2017). Planejando o trabalho em grupo. 3ª edição, Porto Alegre: Penso.

Costa, M. L. A., Almeida, A. S., & Santos, A. F. (2016). A falta de interesse dos alunos pelo estudo da química. Educon, Aracaju, Volume 10, n. 01, p.1-7. ww.educonse.com.br/xcoloquio.

Ferreira, S. F., & Santos, A. G. M.(2021). Dificuldades e desafios durante o ensino remoto na pandemia: um estudo com professores do município de Queimadas – PB. Revista Científica Semana Acadêmica. Fortaleza, ano 2021, Nº. 000207.

Fourez, G. (2003). Crise no ensino de ciências? Investigações em Ensino de Ciências – V8(2), pp. 109-123.

Gorender, J. (1997). Dossiê Globalização. Estudos Avançados, v. 11, n. 29, p. 309-361.

Gruber, A. (2020). Covid-19: O que se sabe sobre a origem da doença. https://jornal.usp.br/artigos/covid2-o-que-se-sabe-sobre-a-origem-da-doenca/14 Abril

Grutzmann, T. P. (2019). Saberes docentes: um estudo a partir de Tardif E Borges. Revista Temas em Educação, v. 28, n. 3, 9 dez.

Lunardi, N.M.S.S.; Nascimento, A.; Sousa, J.B.; Silva, N.R.M.; Pereira, T.G.N. & Fernandes, Y.S.G. (2021). Aulas Remotas durante a Pandemia: Dificuldades e estratégias utilizadas por pais. Revista Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 46, n. 2, e 106662.

Nicola, J. & Paniz,A. C. M. (2016). A importância da utilização de diferentes recursos didáticos no ensino de biologia. Infor, Inov. Form., Rev. NEaD-Unesp, São Paulo, v. 2, n. 1, p.355-381. ISSN 2525-3476.

Observatório do Ensino Médio em Santa Catarina (2020). A educação em tempos de pandemia: soluções emergenciais pelo mundo. Editorial de Abril.

Oliveira, A. S. S. E, Neto, A. B. A., & Oliveira, L. M. S. E. (2020a) Processo ensino aprendizagem na educação infantil em tempos de pandemia e isolamento. Revista Ciência Contemporânea, v. 1, n. 6, p. 349–364, 16 jun.

Oliveira, F. V., Candito, V., Guerra, L. & Scheting, M.R.C. (2020b). Aprendizagem baseada em problemas por meio da temática coronavírus: uma proposta para ensino de química. Interfaces Científicas - Educação, v. 10, n. 1, p. 110–123, 6 set.

Pan American Health Organization -PAHO (2020). OMS declara emergência de saúde pública de importância internacional por surto de novo coronavírus. https://www.paho.org/pt/news/30-1-2020-who-declares-public-health-emergency-novel-coronavirus

Pereira, W.M., Santos, D.D.J., Queiroz, J. A. N., Valasques, G. S., & Barros, J.M., (2021). A importância das aulas práticas para o ensino de química no ensino médio. Scientia Naturalis, v. 3, n. 4, p.1805 -1813.

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, PNAD, (2019). ISBN 978-65-87201-56-6 IBGE. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101733_notas_tecnicas.pdf

Miranda, K.K.C.O.; Lima, A.S.; Oliveira, V.C.M. & Teles, C.B.S. (2020). Aulas remotas em tempo de pandemia: Desafios e Percepções de professores e alunos. In: VII Congresso Nacional de Educação- Educação como (re)existência: Mudanças, conscientização e conhecimentos. Centro Cultural de Exposições Ruth Cardoso, Maceió-AL.

Moraes, R., & Galiazzi, M.C. (2011). Análise textual discursiva. 2ª edição, Ijuí: Editora Unijuí, 224p.

Quadros A.L., Cerqueira A. P. L., Silva C. G. B., Cruz, F. F., & SILVA, V. D. (2006). Os professores de química relatando problemas enfrentados na profissão. Contexto e Educação, Editora Unijuí, Ano 21 • nº 76 • Jul./Dez.

Rezende, C. N., Silva, I. P., Ribeiro, M. M. C., Paixão, J. F. P., & Vieira, T. S. (2012) Principais motivos pelo pouco interesse no estudo de ciências na concepção de estudantes do oitavo e nono ano do ensino fundamental em escolas estaduais de Araguatins/TO. Anais do Congresso Norte Nordeste de Pesquisa e Inovação. ISBN 978-85-62830-10-5 VII CONNEPI

Rodrigues, N. C., Souza, N. R., Patias, S. G. O., Carvalho, E. T., Carbo, L., & Sntos, A. F. S. S. (2021). Recursos didáticos digitais para o ensino de Química durante a pandemia da Covid-19. Research, Society and Development, v. 10, n. 4, p. e22710413978, 8 abr.

Sales , D. P., Viégas., D. S. S., Silva, L. F. B., Silva, A. A.; Lima, B. T., & Lopes, I. M. S. (2019). Uso de metodologias ativas de aprendizagem em escolas de alternância. Revista Espacios, Vol. 40 (Nº 23).

Santana, L. C., & Santos, L. C. M. (2010). Análise da falta de interesse e a motivação dos alunos do primeiro ano do ensino médio. IV Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade ISSN 1982-3657.

Stumpenhorst, J. (2018). A nova revolução do professor- práticas pedagógicas para uma nova geração de alunos. Petrópolis, RJ: Vozes.

Arquivos adicionais

Publicado

2022-07-02

Como Citar

Ferreira Hosanah, R., Martins de Souza, L., Pinto Monteiro, E., & de Oliveira, M. C. (2022). A Residência Pedagógica e o Ensino Remoto: Os impactos na aprendizagem de Química em Manaus-Amazonas. Diversitas Journal, 7(3). https://doi.org/10.48017/dj.v7i3.2217

Edição

Seção

Dossiê Temático- Relatos de experiências no âmbito do PIBID e PRP

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.