Reflexões sobre o processo de formação doutoral:

uma peregrinação voluntária

Autores

  • Augusto Ferreira Ramos Filho Universidade Estadual de Alagoas

DOI:

https://doi.org/10.48017/dj.v7i3.2288

Palavras-chave:

Relato, Formação doutoral, Entrevista.

Resumo

Este é um texto-entrevista. Um relato de experiência a partir do meu caminhar como doutorando. Neste texto, o percurso doutoral é comparado a uma peregrinação. Nesta metáfora há peregrinos, guias e caminhantes. A partir das provações de um professor-guia, fui encorajado a entrevistar um guia mais experiente e compreender melhor como se percorre o caminho de obtenção do título de doutor. O argumento reflexivo é pessoal, mas balizado por uma entrevista semiestruturada com um pesquisador sênior. A entrevista se fundamentou em quatro etapas, a saber: aspectos estruturais de uma tese, aspectos relacionais e comportamentais, pós-tese e reflexões pessoais. As perguntas se relacionavam tanto a questões do contexto da formação doutoral quando ao significado do processo de elaboração de uma tese. Em suma, os processos de elaboração de uma tese podem ser resumidos em premissas, pressupostos, hipóteses, problemas e objetivos, ao passo, que as questões comportamentais estão fragmentadas pelo subjetivismo e pela imposição do ambiente acadêmico.

Métricas

Carregando Métricas ...

Arquivos adicionais

Publicado

2022-07-02

Como Citar

Ramos Filho, A. F. (2022). Reflexões sobre o processo de formação doutoral: : uma peregrinação voluntária. Diversitas Journal, 7(3). https://doi.org/10.48017/dj.v7i3.2288

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.