A lepidopterofauna e a sua representatividade na Bahia: O que os dados informatizados nos contam?

Autores

  • Daiana de Jesus do Rosário Centro Universitário Jorge Amado - UNIJORGE. Salvador, BA, Brasil
  • Lucas Henrique Santos Barbosa Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – ESALQ/USP. Piracicaba, SP, Brasil https://orcid.org/0000-0003-2039-3924
  • Joicelene Regina Lima da Paz Centro Universitário Jorge Amado - UNIJORGE. Salvador, BA, Brasil e Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – ESALQ/USP. Piracicaba, SP, Brasil https://orcid.org/0000-0002-9419-4461

DOI:

https://doi.org/10.48017/dj.v9i2.2976

Palavras-chave:

Biodiversidade, Biomas, Coleções científicas, Inventário, Lepidoptera

Resumo

Lepidoptera representa uma das ordens de insetos com maior riqueza, com cerca de 160.000 espécies descritas. O Brasil abriga aproximadamente metade da riqueza neotropical da ordem, com cerca de 57% das espécies conhecidas, sendo o Estado da Bahia um importante centro de endemismo de lepidópteros. As coleções científicas sumarizam informações importantes sobre as espécies e, incorporadas a bancos de dados informatizados, podem fornecer um acesso mais eficiente sobre dados de taxonomia, sistemática e biodiversidade. Assim, o presente trabalho analisou a produção bibliométrica da produção científica de inventários de Lepidoptera e inventariou a riqueza de Lepidoptera registrada para a Bahia, a partir das informações disponíveis em coleções on-line e registros da literatura específica. O levantamento das espécies foi compilado a partir dos registros de nomes válidos no banco de dados do speciesLink e trabalhos de levantamentos realizados na Bahia. Os nomes dos táxons incluídos nas análises foram revisados quanto ao status taxonômico, e para o tratamento taxonômico e sistemático foi utilizado à literatura especializada. No total, foram registradas n = 891 espécies e 12 famílias, oriundos de 52 municípios do Estado, com destaque para Nymphalidae e Hesperiidae, que concentraram 68% do total. Majoritariamente estes registros foram amplamente associados à Mata Atlântica (com 85% dos táxons), em comparação com áreas de Caatinga e Cerrado. Os inventários foram crescentes, revelando uma riqueza da lepidopterofauna da Bahia. Embora muito esforços tenham sido realizados na área, os dados entomológicos informatizados das coleções brasileiras ainda são incipientes, evidenciando a necessidade da elaboração de infraestruturas eficazes para a catalogação da biodiversidade brasileira.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Daiana de Jesus do Rosário, Centro Universitário Jorge Amado - UNIJORGE. Salvador, BA, Brasil

0000-0001-8726-8437; Centro Universitário Jorge Amado - UNIJORGE. Salvador, BA, Brasil. daianarosarioj@gmail.com

Lucas Henrique Santos Barbosa, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – ESALQ/USP. Piracicaba, SP, Brasil

0000-0003-2039-3924; Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – ESALQ/USP. Piracicaba, SP, Brasil. lucashenrique_018@hotmail.com

Joicelene Regina Lima da Paz, Centro Universitário Jorge Amado - UNIJORGE. Salvador, BA, Brasil e Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – ESALQ/USP. Piracicaba, SP, Brasil

0000-0002-9419-4461; Centro Universitário Jorge Amado - UNIJORGE. Salvador, BA, Brasil e Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – ESALQ/USP.  Piracicaba, SP,  Brasil. joicelene.lima@yahoo.com.br

 

Referências

Aguiar, A.P., dos Santos, B.F., Couri, M.S., Rafael, J.A., Costa, C., Ide, S., Duarte, M., Grazia, J., Schwertner, C.F., Freitas, A.V.L. & Azevedo, C.O. (2009). Capítulo 8: Insecta. In R.M. Rocha & W.A.P. Boeger (Eds.), Estado da Arte e Perspectivas para a Zoologia no Brasil (pp. 131-155). Resultados dos Simpósios do XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia. Curitiba: Editora UFPR.

Almeida, E.A.B., Canhos, D.A.L., Melo, G.A.R., & Menezes, C. (2022). Consolidação da e-Infraestrutura de dados abertos sobre a diversidade das abelhas nativas do Brasil. In Anais do XXVIII Congresso Brasileiro de Entomologia (vol. 1, pp. 294). Fortaleza.

Alvares, C.A., Stape, J.L., Sentelhas, P.C., & Moraes Gonçalves, J.L. (2013). Modeling monthly mean air temperature for Brazil. Theoretical and Applied Climatology, 113, 407–427. DOI: https://doi.org/10.1007/s00704-012-0796-6

Boggs, C.L., Watt, W.B., & Ehrlich, P.R. (2003). Butterflies: Evolution and Ecology Taking Flight. University of Chicago Press.

Brandão, C.R., Kury, A.B., Magalhães, C., & Mielke, O. (2000). Sistema de informação sobre biodiversidade/biotecnologia para o desenvolvimento sustentável (p. 27). http://www.bdt.fat.org.br/oea/sib/zoocol

Brown Jr, K.S., & Freitas, A.V.L. (1999). Lepidoptera. In C.R.F. Brandão & E.M. Cancello (Eds.), Biodiversidade do estado de São Paulo, Brasil: síntese do conhecimento ao final do século XX, Volume 5. Invertebrados terrestres (pp. 227- 243). São Paulo: FAPESP.

Camargo, A.J.A. (1997). Relações biogeográficas e influência da estação seca na distribuição de mariposas da família Saturniidae (Lepidoptera) da região dos Cerrados. Dissertação de Mestrado. Universidade de Brasília.

Camargo, A., Camargo, W., Corrêa, D., Vilela, M., & Amorim, F. (2018). Mariposas polinizadoras do Cerrado: identificação, distribuição, importância e conservação: Família Sphingidae (Insecta Lepidoptera). Embrapa Cerrados.

Canhos, D.A.L., Sousa-Saena, M., Souza, S., Maia, L.C., Stehmann, J.R., Canhos, V.P., Giovanni, R., Bonacelli, M.B.M., Los, W., & Townsend, P. (2015). The importance of biodiversity e-infrastructures for megadiverse. PLoS Biology. DOI: https://doi.org/10.1371/journal.pbio.1002204

Casagrande, M.M., & Duarte, M. (2021). Lepidoptera in Catálogo Taxonômico da Fauna do Brasil. PNUD. http://fauna.jbrj.gov.br/fauna/faunadobrasil/84

Csardi, G., & Nepusz, T. (2006). The igraph software package for complex network research. InterJournal, Complex Systems, 1695(5), 1-9.

Dantas, C., Zacca, T., & Bravo, F. (2021). Checklist of butterflies (Lepidoptera: Papilionoidea) of an urban area of Caatinga-Atlantic Forest ecotone in Bahia, Brazil. EntomoBrasilis, 14, e956. DOI: https://doi.org/10.12741/ebrasilis.v14.e959.

Diniz, I.R., Marinho-filho, J., Machado, R.B., & Cavalcanti, R.B. (2010). Cerrado: Conhecimento quantitativo como subsídios para ações de conservação. Thesauros Editora.

Dourado, C.D.S. (2017). Áreas de risco de desertificação: cenários atuais e futuros, frente às mudanças climáticas. Tese de Doutorado em Engenharia Agrícola. Universidade Estadual de Campinas, Campinas – SP. http://www.repositorio.unicamp.br/handle/reposip/330998

Dourado, C., Oliveira, S.R.M., & Avila, A.M.H. (2013). Análise de zonas homogêneas em séries temporais de precipitação no Estado da Bahia. Bragantia.

Duarte, M., Marconato, G., Specht, A., & Casagrande, M.M. (2012). Lepidoptera. In J.A. Rafael, G.A.R. Melo, C.J.B. Carvalho, S.A. Casari, & R. Constantino (Eds.), Insetos do Brasil. Diversidade e Taxonomia (1a ed., pp. 626-668). Holos.

Evangelista, D. (2015). O Brasil e as “Metas de Aichi” para 2020 - Instituições e regimes internacionais. ABRI – Associação Brasileira de Relações Internacionais. 5º Encontro Nacional da ABRI: Redefinindo a Diplomacia num mundo em transição.

Favretto, M.A., Santos, E.B., & Geuster, C.J. (2013). Entomofauna do Oeste do Estado de Santa Catarina, Sul do Brasil. EntomoBrasilis, 6(1), 42-3. DOI: https://doi.org/10.12741/ebrasilis.v6i1.271 .

Freitas, A.V.L., & Marini-Filho, O.J. (2011). Plano de Ação Nacional para a conservação dos Lepidópteros. ICMBio, Brasília.

Garda, E. (1996). Atlas do meio ambiente do Brasil. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Terra Viva.

Haxaire, J., & Mielke, C. (2013). Hawk moths fauna of southern Maranhão state, Brazil, with description of a new species of Orecta Rothschild & Jordan, 1903 and the female of Nyceryx mielkei Haxaire, 2009 (Lepidoptera: Sphingidae). Nachrichten des Entomologischen Vereins Apollo, 34, 109-116.

Heppner, J.B. (1991). Faunal regions and the diversity of Lepidoptera. Tropical Lepidoptera, 2(1), 1-85.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE a. Brasil em síntese - Território. Disponível em: < https://brasilemsintese.ibge.gov.br/territorio.html>. [Acesso 12.vi.2021].

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (a). (2021). Brasil em síntese - Território. https://brasilemsintese.ibge.gov.br/territorio.html

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (b). (2021). Cidades e Estados. https://www.ibge.gov.br/cidades%20-e-estados/ba/

Iserhard, C.A., Uehara-Prado, M., Marini-Filho, O.J., Duarte, M., & Freitas, A.V.L. (2017). Fauna da Mata Atlântica: Lepidoptera-Borboletas. Revisões em Zoologia: Mata Atlântica, Curitiba.

Johnson, S.D., Moré, M., Amorim, F.W., Haber, W.A., Frankie, G.W., Stanley, D.A., Cocucci, A.A., & Raguso, R.A. (2017). The long and the short of it: a global analysis of hawkmoth pollination niches and interaction networks. Functional Ecology, 31(1), 101-115. DOI: https://doi.org/10.1111/1365-2435.12753.

Kerpel, S.M., Zacca, T., Nobre, C.E.B., Júnior, A.F., Xavier, M., & Fonseca, A. (2014). Borboletas do Semiárido: conhecimento atual e contribuições do PPBio. In Artrópodes do Semi-Árido: biodiversidade e conservação (pp. 245-275). Printmídia, Feira de Santana.

Klink, C.A., & Machado, R.B. (2005). Conservation of the Brazilian Cerrado. Biological Conservation, 19, 707–713. DOI: http://dx.doi.org/10.1111/j.1523-1739.2005.00702.x

Kousky, V.E. (1979). Frontal influences on northeast Brazil. Monthly Weather Review, 107(9), 1140-1153.

Lamas, G. (2004). Checklist: part 4A. Hesperioidea-Papilionoidea. Atlas of neotropical Lepidoptera, 1-439.

Leal, I.R., Tabarelli, M., & Da Silva, J.M.C. (2003). Ecologia e conservação da Caatinga. Editora Universitária UFPE. http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br/bitstream/handle/123456789/9865/Livro_Ecologia-e--Conserva%C3%A7%C3%A3o-da-Caatinga_MMA.pdf?sequence=1

Lima, J.N., & Zacca, T. (2014). Lista de espécies de borboletas (Lepidoptera: Hesperioidea e Papilionoidea) de uma área de semiárido na região nordeste do Brasil. EntomoBrasilis, 7(1), 33-40. DOI: https://doi.org/10.12741/ebrasilis.v7i1.351

Machado, A.B.M., Drummond, G.M., & Paglia, A.P. (2008). Livro vermelho da fauna brasileira ameaçada de extinção (pp. 1420-1420).

Machado, R.B., Ramos Neto, M.B., Pereira, P.G.P., Caldas, E.F., Gonçalves, D.A., Santos, N.S., Tabor, K. & Steininger, M. (2004). Estimativas de perda da área do Cerrado brasileiro. Relatório técnico não publicado. Conservação Internacional, Brasília, DF.

Marinoni, L., & Peixoto, A.L. (2010). As coleções biológicas como fonte dinâmica e permanente de conhecimento sobre a biodiversidade. Ciência e cultura, 62(3), 54–57.

Martin, A. (2019). Hawkmoths of Brazil. http://www.brazilhawkmoths.com/index.html

Martin, A., Soares, A., & Bizarro, J. (2011). Guia dos Sphingidae da Serra dos Órgãos. Sudeste do Brasil. REGUA Publications.

Martins, D.J., & Johnson, S.D. (2007). Hawkmoth pollination of aerangoid orchids in Kenya, with special reference to nectar sugar concentration gradients in the floral spurs. American Journal of Botany, 94(4), 650-659. DOI: https://doi.org/10.3732/ajb.94.4.650

Mielk, O., Emery, E., & Pinheiro, C. (2008). As borboletas Hesperiidae (Lepidoptera, Hesperioidea) do Distrito Federal, Brasil. Revista Brasileira de Entomologia, 52(2), 283-288.

Ministério do Meio Ambiente [MMA]. (2017). Estratégia e plano de ação nacionais para a biodiversidade. Secretaria de Biodiversidade, Departamento de Conservação de Ecossistemas, Brasília, DF.

Myers, N., Mittermeier, R. A., Mittermeier, C. G., da Fonseca, G. A. B., & Kent, J. (2000). Biodiversity hotspots for conservation priorities. Nature, 403, 853–858. DOI: https://doi.org/10.1038/35002501

Neves, D. A., & Paluch, M. (2016). Estrutura da comunidade de borboletas frugívoras na Mata Atlântica do litoral sul da Bahia (Brasil) (Lepidoptera: Nymphalidae). SHILAP Revista de Lepidopterología, 44(176), 593-606

Oliveira, R. S. (2012). Borboletas (Papilionoidea e Hesperioidea) da Reserva Jequitibá, Elísio Medrado, BA. Monografia (Bacharel em Ciências Biológicas).

Paluch, M., Mielke, O., Linhares, L. M., & Silva, D. (2016). Butterflies (Lepidoptera: Papilionoidea and Hesperioidea) of the Private Reserve of Natural Heritage Fazenda Lontra/Saudade, Itanagra, Northern Coast of Bahia, Brazil. Biota Neotropica, 16(1), 1-7. DOI: https://doi.org/10.1590/1676-0611-BN-2014-0085

Peixoto, A. L., Barbosa, M. R. V., Menezes, M., Maia, C. L., Vazoller, R. F., Marinoni, L. & Canhos, D. A. L. (2006). Diretrizes e estratégias para a modernização de coleções biológicas brasileiras e a consolidação de sistemas integrados de informação sobre biodiversidade (pp. 145-182). Brasília: Centro de Gestão e Estudos Estratégicos: Ministério da Ciência e Tecnologia.

Pimm, S. L., Jenkins, C. N., Abell, R., Brooks, T. M., Gittleman, J. L., Joppa, L. N., ... & Sexton, J. O. (2014). The biodiversity of species and their rates of extinction, distribution, and protection. Science, 344(6187), 1246752. DOI: https://doi/10.1126/science.1246752

R Core Team. (2021). R: A language and Environment For Statistical Computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna.

Ramos, R. L., Lopes, D. S., Garcia, C. T., Trindade-Santos, M. E., & Oliveira, F. F. de. (2021). Historical record on the Brazilian hawkmoths (Lepidoptera: Sphingidae) deposited in the Entomological Collection of the Museu de História Natural da Bahia (MHNBA) in Salvador, Bahia, Brazil. EntomoBrasilis, 14, e951-e951. DOI: https://doi.org/10.12741/ebrasilis.v14.e951.

Ribeiro, E. S., Araújo, B. M., & Granato, M. (Eds.). (2020). Cadernos do patrimônio da ciência e tecnologia: epistemologia e políticas. Ed. UFPE.

Rocha, R. M., & Boeger, W. A. (Eds.). (2009). Estado da arte e perspectivas para a Zoologia no Brasil. Sociedade brasileira de Zoologia, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil.

Santos, J. P. D., Freitas, A. V. L., Brown Jr, K. S., Carreira, J. Y. O., Gueratto, P. E., Rosa, A. H. B., Lourenço, G. M., Acaccio, G. M., Uehara-Prado, M., Iserhard, C. A., Richter, C., Gawlinski, K., Romanowski, H. P., Mega, N. O., Teixeira, M. O., Moser, A., Ribeiro, D. B., Araujo, P. F., Filgueiras, B. K. C., Melo, D. H. A., Leal, I. R., Beirão, M. V., Ribeiro, S. P., Cambuí, E. C. B., Vasconcelos, R. N., Cardoso, M. Z., Paluch, M., Greve, R. R., Voltolini, J. C., Galetti, M., Regolin, A. L., Sobral-Souza, T. & Ribeiro, M. C. (2018). Atlantic butterflies: a data set of fruit‐feeding butterfly communities from the Atlantic forests. DOI: https://doi.org/10.1002/ecy.2507

Schmidt, D., Costa, L., Campos, A., & Barp, E. (2012). Diversidade de borboletas (Lepidoptera) na borda e no interior de um fragmento de mata, no município de Seara. Saúde e meio ambiente: revista interdisciplinar, 1(2), 3-15. DOI: https://doi.org/10.24302/sma.v1i2.263

Silva, D. L., Corrêa, P., Juarez, K. M., & Fonseca, R. L. (2015). Diretrizes para a Integração de Dados de Biodiversidade. MMA, Brasília.

Silva, D. P. (2012). Levantamento da Diversidade De Lepidoptera (Hexapoda: Insecta) Frugívoros na estação ecológica Raso da Catarina/Paulo Afonso, Bahia, Brasil. Monografia de Graduação. Universidade do Estado da Bahia.

Soga, M., Kawahara, T., Fukuyama, K., Sayama, K., Kato, T., Shimomura, M., Itoh, T., Yoshida, T. & Ozaki, K. (2015). Landscape versus local factors shaping butterfly communities in fragmented landscapes: Does host plant diversity matter? Journal of Insect Conservation, 19(4):781-790. Disponível em:< https://link.springer.com/article/10.1007/s10841-015-9799-9>. [Acesso 15.vi.2021]. DOI: https://doi.org/10.1007/s10841-015-9799-9

Souza, B. I. D., Artigas, R. C., & Lima, E. R. V. D. (2015). Caatinga e desertificação. Mercator (Fortaleza), 14, 131-150.

Teston, J. A., Spech, A., Di Mare, R. A., & Corseuil, E. (2006). Arctiinae coletados em unidades de conservação estaduais do Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasileira de Entomologia, 50(2):280-286.

Vasconcelos, R. N., Barbosa, E. C., & Peres, M. C. L. (2009). Borboletas do Parque Metropolitano de Pituaçu, Salvador, Bahia, Brasil. Sitientibus Série Ciências Biológicas, 9(2-3), 158-164.

Vila-Verde, G., & Paluch, M. (2019). Fauna de Esfingídeos (Lepidoptera; Bombycoidea; Sphingidae) em um Fragmento de Mata Atlântica no Sul do Estado da Bahia. EntomoBrasilis, 12(3), 113-117.

Vila-Verde, G., & Paluch, M. (2020). Butterflies (Lepidoptera: Papilionoidea) from a Fragment of Atlantic Forest in the Southern Bahia State. EntomoBrasilis, 13, e905-e905. DOI: https://doi.org/10.12741/ebrasilis.v13.e905

Vila-Verde, G., Dolibaina, D. R., Duarte, O. M. P., & Paluch, M. (2020). Borboletas (Lepidoptera: Papilionoidea) da Reserva particular do patrimônio natural Estação Veracel, Porto Seguro, Bahia, pp. 1-388–416.

Zacca, T., & Bravo, F. (2012). Borboletas (Lepidoptera: Papilionoidea e Hesperioidea) da porção norte da Chapada Diamantina, Bahia, Brasil. Biota Neotropica, 12(2), 117-126. https://doi.org/10.1590/S1676-06032012000200012

Zacca, T. (2009). Espécies de borboletas (Lepidoptera: Papilionoidea e Hesperioidea) da Coleção Entomológica. Prof. Johann Becker do Museu de Zoologia da Universidade Estadual de Feira de Santana, Bahia, Brasil. Sitientibus Série Ciências Biológicas, 9(2-3), 165-173.

Zacca, T., Bravo, F., & Araújo, M. X. (2011). Butterflies (Lepidoptera:Papilionoidea and Hesperioidea) from Serra da Jibóia, Bahia State, Brazil. Entomobrasilis, 4(3), 139-143. DOI: http://dx.doi.org/10.12741/ebrasilis.v4i3.134

Publicado

2024-06-29

Como Citar

Rosário, D. de J. do, Barbosa, L. H. S., & Paz, J. R. L. da. (2024). A lepidopterofauna e a sua representatividade na Bahia: O que os dados informatizados nos contam?. Diversitas Journal, 9(2). https://doi.org/10.48017/dj.v9i2.2976

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.