Perfil epidemiológico e análise de tendência das internações hospitalares por asma no Brasil de 2008-2018

Autores

  • Roberta Karolline de Souza Lima Universidade Federal de Alagoas
  • Érika de Fátima Machado Soares Universidade Federal de Alagoas
  • Daniel Martins Correia Universidade Federal de Alagoas
  • Maria Deysiane Porto Araújo

DOI:

https://doi.org/10.48017/dj.v7i1.1878

Palavras-chave:

Pneumologia, Doenças Respiratórias, Bioestatística, Atenção primária à saúde

Resumo

A asma é uma doença inflamatória crônica que representa a quarta maior causa de hospitalização no Brasil. Por isso, o presente trabalho busca descrever a distribuição das internações por asma no Brasil e sua tendência temporal entre 2008 e 2018. Para tal, foram coletados dados de internação por asma no Brasil entre 2008-2018 extraídos do DATASUS. Em seguida, para análise das tendências utilizou-se o software Joinpoint. Foram notificadas 1.567.952 internações por asma, com tendência decrescente significativa em ambos os sexos, todas as regiões e faixas etárias. Houve predominância de casos na região Nordeste e em crianças e adolescentes. Provavelmente, a diminuição das internações por asma no Brasil pode estar relacionada a melhorias no acesso aos serviços de saúde, como a distribuição gratuita de medicamentos para o tratamento da doença. Os dados demonstraram que internações por asma vêm decrescendo, sendo mais prevalentes em crianças e adolescente e residentes na região Nordeste. Espera-se que esses dados possam ajudar no planejamento e na alocação de recursos em saúde.

Referências

BRASIL, Ministério da Saúde. Assistência Farmacêutica no SUS: 20 anos de políticas e propostas para desenvolvimento e qualificação: relatório com análise e recomendações de gestores, especialistas e representantes da sociedade civil organizada. 21. Ed, 2018;

BRASIL. IV Diretizes Brasileiras para o Manejo da Asma. J. bras. Pneumol., v. 32, p. S447-S474, novembro, 2006;

BRITO, T, S.; LUIZ R. R.; LAPA J. R.; CAMPOS H. S. Asthma mortality in Brazil, 1980-2012: a regional perspective. J. bras. Pneumol., v. 44, n. 5, p. 354-360, outubro, 2018;

CARDOSO, T. A. et al. The impact of asthma in Brazil: a longitudinal analysis of data from a Brazilian national database system. J. bras. Pneumol., v. 43, n. 3, p. 163–168, junho, 2017;

DOTTORINI; M. L. et al. Reatividade do teste cutâneo a aeroalérgenos e sintomas alérgicos em uma população urbana da Itália central: um estudo longitudinal. Clin Exp Allergy, v. 37, p. 188–196, 2007;

FORTE, G. C.; Hennemann M. L.; Dalcin P. T. R. Asthma control, lung function, nutritional status, and health-related quality of life: differences between adult males and females with asthma. J. bras. Pneumol., v. 44, n. 4, p. 273-278, agosto, 2018;

HESS, D. R. Metered-dose inhalers and dry powder inhalers in aerosol therapy. Respir Care, v. 50, n. 10, p. 1376-83, outubro, 2005;

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). IBGEEduca, 2020;

MACEDO S. E. C. et al. Fatores de risco para a asma em adultos, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Cad. Saúde Pública, v. 24, n. 4, p. 863-874, abr. 2007;

OLIVEIRA M. A. Epidemiology of asthma: it is necessary to expand our conceptsctive. J. bras. Pneumol., v. 44, n. 5, p. 341-342, outubro, 2018;

PELETEIRO T.S.; PEREIRA, L. J.; MACHADO A. S. Análise descritiva das internações e óbitos por asma em Salvador, Bahia. Rev. Ciênc. Méd. Biol., v. 16, n. 3, p. 400, junho, 2017;

PRABHAKARAN, L. et al. Impact of an asthma education programme on patients' knowledge, inhaler technique and compliance to treatment. Singapore Med J, v. 47, n. 3, p. 225-31, março, 2006;

SANTOS V. M. S. et al. Asma na urgência: perfil das internações hospitalares por crises agudas de asma na Bahia de 2014 a 2018. BJRH, v. 3, n. 2, p. 3833–3839, 12 agosto, 2020;

SANTOS, D. O. et al. Atenção farmacêutica ao portador de asma persistente: avaliação da aderência ao tratamento e da técnica de utilização dos medicamentos inalatórios. J. bras. Pneumol., v. 36, n. 1, p. 14–22, fevereiro, 2010;

SANTOS, P. M. et al. Preditores da adesão ao tratamento em pacientes com asma grave atendidos em um centro de referência na Bahia. J. bras. Pneumol., v. 34, n. 12, p. 995–1002, dezembro, 2008;

TAKEDA, M. et al. Gender difference in allergic airway remodelling and immunoglobulin production in mouse model of asthma. Respirology, v. 18, n. 5, p. 797-806, agosto, 2018;

WEHRMEISTER F. C.; PERES K. G. A. Desigualdades regionais na prevalência de diagnóstico de asma em crianças: uma análise da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, 2003. Cad. Saúde Pública, v. 26, n. 9, p. 1839-1852, setembro, 2010;

WIJNHOVEN, H. A. et al. Gender Differences in Health-Related Quality of Life Among Asthma Patients. Journal of Asthma, v. 40, n. 2, p. 189-99, abril, 2003;

World Health Organization (WHO). 10 facts on asthma, 2017.

World Health Organization (WHO). Asma, 2020;

Arquivos adicionais

Publicado

2022-01-01

Como Citar

Lima, R. K. de S., Soares, Érika de F. M., Correia, D. M., & Araújo, M. D. P. (2022). Perfil epidemiológico e análise de tendência das internações hospitalares por asma no Brasil de 2008-2018. Diversitas Journal, 7(1), 0290–0297. https://doi.org/10.48017/dj.v7i1.1878