Diversidade de espécies arbóreas entre fragmentos de Floresta Estacional Semidecidual, Minas Gerais, Brasil

Autores

  • Leovandes Soares da Silva Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)
  • Cassiano Cardoso Costa Soares Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
  • Werley Vieira Santos Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
  • Evandro Luiz Mendonça Machado Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)

DOI:

https://doi.org/10.48017/dj.v7i1.1967

Palavras-chave:

Florística, Fitossociologia, Similaridade, Fragmentação florestal

Resumo

A Floresta Estacional Semidecidual possui alto índice de diversidade e, se encontra extremamente ameaçada pela ação antrópica. O objetivo desse estudo foi avaliar a diversidade florística e estrutural em fragmentos de Floresta Estacional Semidecidual, em Minas Gerais. Para isso, selecionamos dois fragmentos, sendo o primeiro localizado no Parque Nacional das Sempre-Vivas e o segundo no Parque Estadual do Biribiri. Em cada fragmento foi alocada 25 parcelas 400 m2 (20 × 20 m). Em cada parcela foram identificados e mensurados os indivíduos vivos com diâmetro à altura do peito (DAP) ≥ 5,0 cm. Houve diferenças florística e estrutural, na Mata do Gavião mensuramos 1868 indivíduos, pertencentes a 196 espécies e 46 famílias. Na Mata do Gombô foi mensuramos 1275 indivíduos vivos distribuídos em 132 espécies e 43 famílias botânicas. Na Mata do Gavião o índice de diversidade de Shannon (H’) foi de 4,32 nats. Ind-1 e equabilidade de Pielou (J) 0,83, na Mata do Gombô (H’) foi de 4,10 nats. Ind-1 e (J) 0,85. As espécies mais representativas foram Licania hoehnei e Pterodon pubescens. Há um desequilíbrio entre as classes diamétricas, a primeira teve a maior concentração de indivíduos sendo superior às outras classes juntas. As duas áreas possui baixa similaridade florística entre si, constituem importantes centros de diversidade e contribuem significativamente para a diversidade florística regional.

Biografia do Autor

Leovandes Soares da Silva, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)

Engenheiro Florestal, Doutor em Ciência Florestal pelo Programa de Pós-graduação em Ciência Florestal pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK (2020). Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal. Atua na linha de pesquisa: Conservação e Restauração de Ecossistemas Florestais. Seus trabalhos envolvem pesquisas relacionadas à Engenharia Florestal, com ênfase em estrutura, dinâmica, funcionalidade de comunidades e distribuição espacial de populações de plantas.

Evandro Luiz Mendonça Machado, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)

Departamento de Engenharia Florestal

Referências

APG. Angiosperm Phylogeny Group (APG IV). An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG IV. Botanical Journal of the Linnean Society, v. 181, p. 1–20, 2016.

BROWER, James E.; ZAR, Jerrold H. Field and laboratory methods for general ecology. Dubuque: WMC Brow. p. 28, 1984.

CONCEIÇÃO, Abel Augusto.; RAPINI, Alessandro.; CARMO, Flávio Fonseca.; BRITO, Juliana C.; SILVA, Gabriela A.; NEVES, Sâmia Paula Santos.; JACOBI, Claudia Maria. Rupestrian grassland vegetation, diver‐ sity and origin. In G. W. Fernandes (Ed.), Ecology and conservation of mountaintop grasslands in Brazil. Switzerland: Springer International Publishing. p. 105- 127, 2016.

COSTA, Thaís Ribeiro.; MOURA, Cristiane Coelho.; SILVA, Leovandes Soares.; FONSECA, Darliana da Costa.; OTONI TJO, MACHADO ELM. Estrutura e relação vegetação-ambiente de uma Floresta Estacional Semidecidual na Reserva da Biosfera da Serra do Espinhaço. Revista Vozes dos Vales – UFVJM – MG – Brasil. Out.; v.18, p. 1-25, 2020.

CRUZ, Aline Pereira.; HIGUCHI, Pedro.; SILVA, Ana Carolina.; KILCA, Ricardo Vargas.; DALLABRIDA, Juliana Pizutti.; SOUZA, Karine.; LIMA, Carla Luciane.; SOBOLESKI, Vanessa Fátima.; NUNES, Amanda Silva.; LOEBENS, Rodineli. Interrelação entre paisagem, organização florístico-estrutural e demografia do componente arbóreo em floresta com araucárias. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 28, n. 1, p. 67-79, 2018.

DEXTER, Kyle Graham.; PENNINGTON, R. Toby.; OLIVEIRA-FILHO, Ary Teixeira.; BUENO, Marcelo Leandro.; MIRANDA, Pedro Luiz Silva.; NEVES, Danilo. Inserting Tropical Dry Forests into the discussion on Biome Transitions in the Tropics. Front. Ecol. Evol. v. 6, p. 104, 2018.

ESTEVAN, Daniela Aparecida.; VIEIRA, Ana Odete Santos.; GORENSTEIN, Maurício Romero. Estrutura e relações florísticas de um fragmento de floresta estacional semidecidual, Londrina, Paraná, Brasil. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 26, n. 3, p. 713-725, jul.-set., 2016.

FAGUNDES, Nathalle Cristine Alencar.; ÁVILA, Marly Antonielle.; SOUZA, Saimo Reblleth.; AZEVEDO, Islaine Franciely Pinheiro.; NUNES, Yule Roberta Ferreira.; FERNANDES, Geraldo Wilson.; FERNANDES, Luiz Arnaldo.; SANTOS, Rubens Manoel.; VELOSO, Maria das Dores Magalhães. Riparian vegetation structure and soil variables in Pandeiros river, Brazil. Rodriguesia, v. 70: p. 1-13, 2019.

FUNDAÇÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (RS). Software Mata Nativa 2: manual do usuário. Viçosa: Cientec, 2006. 295 p.

GONZAGA, Anne Priscila Dias.; MACHADO, Evandro Luiz Mendonça.; FELFILI, Jeanine Maria.; PINTO, José Roberto Rodrigues. Brazilian Decidual Tropical Forest enclaves: floristic, structural and environmental variations. Brazilian Journal of Botany, v. 40, n. 2, p. 417-426, 2017.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Manual técnico da vegetação brasileira. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Rio de Janeiro, (2a ed.). 2012.

Brasil. Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Disponível em: http://www.inmet.gov.br. Acesso em: 08/08/2020.

LORENZONI-PASCHOA, Luciana de Souza.; ABREU, Karla Maria Pedra.; SILVA, Gilson Fernandes.; DIAS, Henrique Machado.; MACHADO, Luciana Assis.; SILVA, Renata de Deus. Estágio sucessional de uma floresta estacional semidecidual secundária com distintos históricos de uso do solo no sul do Espírito Santo. Rodriguésia, 70, e02702017, 2019.

MUELLER-DOMBOIS, Dieter.; ELLENBERG, Heinz. Aims and methods of vegetation ecology. The Blackburn Press: New Jersey. 2002, 547p.

NERI, Andreza Viana.; SOARES, Michellia Pereira.; MEIRA-NETO, João Augusto Alves.; DIAS, Luiz Eduardo. Espécies de Cerrado com potencial para recuperação de áreas degradadas por mineração de ouro, Paracatu-MG. Revista Árvore, v. 35, n. 4, p. 907-918, 2011.

OLIVEIRA-FILHO, Ary Teixeira.; JARENKOW, João André.; RODAL, Maria Jesus Nogueira. Floristic relationships of seasonally dry forests of eastern South America based on tree species distribution patterns. Systematics Association Special. v. 69, p. 159, 2006.

OLIVEIROS, Juan C. Venny: uma ferramenta interativa para comparar listas com diagramas de Venn [Internet]. 2015 [citado em 18 de maio de 2021]. Disponível em: Disponível em: https://bit.ly/2ZJOWNU

ROCHA, Samuel José Silva Soares.; TORRES, Carlos Moreira Miquelino.; JACOVINE, Laércio Antônio Gonçalves.; SCHETTINI, Bruno Leão Said.; VILLANOVA, Paulo Henrique.; RUFINO, Maria Paula Miranda Xavier.; VIANA, Águida Beatriz Traváglia. Efeito da borda na estrutura e estoque de carbono de uma Floresta Estacional Semidecidual. Adv. For. Sci., Cuiabá, v. 6, n. 2, p. 645-650, 2019.

SANTANA, Lucas Dedizeiro.; RIBEIRO, José Hugo Campos.; BERG, Van Den Eduardo.; CARVALHO, Fabrício Alvim. Impact on soil and tree community of a threatened subtropical phytophysiognomy after a forest fire. Folia Geobotânica. v. 55, p. 1- 20, 2020.

SILVA, Ana Carolina.; HIGUCHI, Pedro.; AGUIAR, Manoela Drews.; NEGRINI, Marcelo.; FERT NETO, João.; HESS, André Felipe. Relações florística e fitossociologia de uma Floresta Ombrófila Mista Montana secundária em Lages, Santa Catarina. Ciência Florestal, v. 22, n. 1, p. 193-206, 2012.

SILVA, Helane França.; RIBEIRO, Sabina Cerruto.; BOTELHO, Soraya Alvarenga.; LISKA, Gilberto Rodrigues.; CIRILLO, Marcelo Angelo. Biomass and Carbon in a Seasonal Semideciduous Forest in Minas Gerais. Floresta e Ambiente, v. 25, n. 1, p. 1-9, 2018.

SILVA, Tainá Mamede Cirne.; CARVALHO, Warley Augusto Caldas.; TERRA, Marcela de Castro Nunes Santos.; SANTOS, Rubens Manoel.; SANTOS, Alisson Borges Miranda.; SOUZA, Cléber Rodrigo. Anthropic disturbances as the main driver of a semideciduous seasonal forest fragment in Minas Gerais. Rodriguésia, v. 70: p. 1-11, 2019.

SILVA, Leovandes Soares.; COSTA, Thaís Ribeiro.; VIEIRA, Arthur Duarte.; FRANCO, Stênio Abdanur Porfírio.; MACHADO, Evandro Luiz Mendonça. Variações na composição florística em floresta estacional semidecidual em Curvelo-MG. Nativa, Sinop, v. 7, n. 1, p. 109-116, jan./fev. 2019.

TORRES, Carlos Moreira Miquelino Eleto.; JACOVINE, Laércio Antônio Gonçalves.; OLIVEIRA NETO, Silvio Nolasco.; SOUZA, Agostinho Lopes.; CAMPOS, Rogerio Assunção.; SCHETTINI, Bruno Leão Said. Análise Fitossociológica e Valor de Importância em Carbono para uma Floresta Estacional Semidecidual. Floresta e Ambiente, v. 24, p. 1-10, 2017.

Arquivos adicionais

Publicado

2022-01-01

Como Citar

Soares da Silva, L., Soares, C. C. C., Santos, W. V., & Machado, E. L. M. (2022). Diversidade de espécies arbóreas entre fragmentos de Floresta Estacional Semidecidual, Minas Gerais, Brasil. Diversitas Journal, 7(1), 0052–0070. https://doi.org/10.48017/dj.v7i1.1967

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)