O PIBID Geografia e a formação do professor pesquisador

Autores

  • Jacqueline Praxedes de Almeida UFAL
  • Kevin Brandão Souza UFAL
  • Alessandro Martins Araújo UFAL
  • Sarah Lima Nascimento UFAL
  • Maria Izabel Correia Silva de Messias IFAL
  • Nadja Maria dos Santos Silva UFAL

DOI:

https://doi.org/10.48017/dj.v7i2.2190

Palavras-chave:

Pibid, formação docente, pesquisa,, produção acadêmica

Resumo

A formação de professores tem buscado inserir a pesquisa como ação inerente à profissão docente, formando educadores que produzam e divulguem conhecimento científico. Essa formação vem sendo incentivada por programas governamentais que buscam aproximar a universidade às escolas da educação básica. Nesse sentido, o presente artigo objetiva destacar a importância da formação do professor pesquisador, bem como apresentar a experiência do subprojeto Geografia do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), edição 2020-2022, no que se refere ao incentivo à produção científica, bem como a visão dos bolsistas de Iniciação à Docência (ID) sobre a experiência vivida. Assim, são apresentadas neste trabalho as produções acadêmicas dos pibidianos e as contribuições que esse processo proporcionou para as suas formações como futuros docentes. Para conhecer a visão dos bolsistas ID foi aplicado um questionário com 13 pibidianos. Os resultados demonstraram, entre outros aspectos, que o PIBID proporcionou a primeira experiência de produção científica em suas vidas na academia e entre as maiores dificuldades enfrentadas está a falta de experiência em escrever e desenvolver pesquisa.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Almeida, J. P. (2016). Contribuições da pesquisa no estágio supervisionado na formação do professor de geografia. Revista Brasileira de Educação em Geografia, 6(11), 361-380.

André, M. (2006). Pesquisa formação e prática docente. In: M. André, (Org.). O papel da Pesquisa na Formação e na Prática dos Professores. (5a ed.). (pp. 55-71). Papirus.

Brasil. (2001). Parecer CNE/CP 09/2001 de 8 de maio de 2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Ministério da Educação. http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/009.pdf

Brasil. (2009). Portaria Normativa nº 122/ de 16 de Setembro de 2009. Dispõe sobre o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Ministério da Educação. https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/portaria122-pibid-pdf

Brasil. (2013). Relatório de Gestão – Life. Ministério da Educação.

Costa, D. J. M., Rego, L. F. M. E., Habibe, C. D. R., Fernandes & V. M. D. C. (2021, 02-04 de dezembro). Pesquisa em educação: desafios e perspectivas docentes na configuração de pesquisa na educação básica. [Apresentação oral]. 7º Congresso Nacional de Educação, online. https://www.editorarealize.com.br/editora/ebooks/conedu/2020/ebook1/602fcac86675b_19022021112720.pdf.

Costa, L. R. S. & Silva, M. A. A. (2016). Dificuldades vivenciadas na elaboração de artigos científicos: percepção de discentes do curso de licenciatura em matemática da UFPE – CAA. [Apresentação oral]. 3º Congresso Nacional de Educação, Natal. https://www.editorarealize.com.br/artigo/visualizar/20686.

Demo, P. (1994). Universidade e Pesquisa: Agonia de um Antimodelo. Motrivivência, 5,17-33. https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/viewFile/14498/13279

¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬Demo, P. (1996). Educação e Qualidade. (3a ed.). Papirus Editora.

Demo, P. (2000). Desafios modernos da educação. (9ª ed.). Vozes.

Freire, P. (2019). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. (68ª ed.). Paz & Terra.

Freitas, M. T. M. (2000). Estágio curricular em matemática na perspectiva de extensão universitária: estudo de uma Desafios e potencialidades da escrita na formação docente em matemática experiência na UFU [Dissertação, Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia]. Repositório Institucional - Universidade Federal de Uberlândia. https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/28580

Gatti, B. (2010). Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educ. Soc., 31(113), 1355-1379. https://www.scielo.br/j/es/a/R5VNX8SpKjNmKPxxp4QMt9M/?format=pdf&lang=pt

Paniago, R. N., Sarmento T. (2017). A Formação na e para a Pesquisa no PIBID: possibilidades e fragilidades. Educação & Realidade, 42(2), 771-792.

Pereira, A. L. & Monteiro, T. S. (2019). Desafios na formação inicial de professores: uma análise a partir das experiências no contexto do PIBID. Práxis educativas, 14(2), 487-506.

Pesce, M. K., André, M. E. D. A. & Hobold, M. S. Formação do professor pesquisador: procedimentos didáticos. (2013, 23-26 de setembro). A Escola enquanto espaço de formação e o papel do professor formador formativo: voz e vida para uma experiência. Anais do 11° Congresso Nacional de Educação, Curitiba. https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2013/7520_5224.pdf

Suertegaray, D. M. A. (2009). Pesquisa e educação de professores. In: N. N. Pontuschka, A. U. Oliveira. (Orgs.). Geografia em Perspectiva. (3a ed.). (pp. 109-114). Contexto.

Tardif, M. (2013). Saberes Docentes e Formação Profissional. (15a ed.). Vozes.

Arquivos adicionais

Publicado

2022-04-02

Como Citar

Praxedes de Almeida, J., Brandão Souza, K., Martins Araújo, A., Lima Nascimento, S., Izabel Correia Silva de Messias, M., & Maria dos Santos Silva, N. (2022). O PIBID Geografia e a formação do professor pesquisador. Diversitas Journal, 7(2). https://doi.org/10.48017/dj.v7i2.2190

Edição

Seção

Dossiê Temático- Relatos de experiências no âmbito do PIBID e PRP

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)