Perfil epidemiológico de violência sexual contra mulher no ambiente doméstico em Alagoas, 2012-2022

Autores

  • Caio Henrique Leite Oliveira Melo Universidade Federal de Alagoas - UFAL, Arapiraca, Brasil
  • Carla Souza dos Anjos Universidade Federal de Alagoas - UFAL, Arapiraca, Brasil
  • Carla Eduarda Silva da Fonseca Universidade Federal de Alagoas - UFAL, Arapiraca, Brazil
  • Julye Larisse Lemos Melo Universidade Federal de Alagoas - UFAL, Arapiraca, Brazil
  • Claude Marise dos Santos Silva Universidade Federal de Alagoas , UFAL, Arapiraca, Brasil
  • Thayse Gomes de Almeida Universidade Federal de Alagoas - UFAL, Arapiraca, Brazil

DOI:

https://doi.org/10.48017/dj.v9i1.2812

Palavras-chave:

Perfil epidemiológico, violência contra a mulher, violência sexual

Resumo

A violência sexual é qualquer ato sexual ou tentativa de ato não desejado praticado por qualquer pessoa. Considerando essa premissa, o presente estudo justificou-se pela multidisciplinaridade do tema e necessidade de melhores estratégias de enfrentamento. Objetivou descrever o perfil epidemiológico da violência sexual sofrida pela mulher, em ambiente doméstico, no estado de Alagoas, entre 2012-2022. É um estudo epidemiológico, exploratório, descritivo de análise retrospectiva com base documental de abordagem quantitativa de dados secundários disponíveis no Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Entre o período de 2012-2022, foram notificados 3.953 casos de violência sexual contra mulheres em Alagoas. Destes,  47,50% corresponderam a indivíduos na faixa etária entre 10 a 14 anos. O ano de 2022 registrou o maior quantitativo, com 799 casos. Em 2022 foi registrada a média de 114,4 casos, apresentando crescimento de 633% no período analisado. A raça/cor apontou que os casos são mais recorrentes em mulheres pardas. O principal agressor foi o “padrasto”, destacando, também, figuras femininas, como mãe e madrasta. Destarte, os dados  refletem a necessidade da implementação de políticas públicas na atenção integral à saúde da mulher, além da capacitação dos profissionais de saúde no acolhimento à  vítima de violência sexual.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Caio Henrique Leite Oliveira Melo, Universidade Federal de Alagoas - UFAL, Arapiraca, Brasil

0000-0002-8466-1042; Universidade Federal de Alagoas,  campus Arapiraca, Bachelor 's Nursing Course. Arapiraca, AL, Brasil. E-mail: caio.melo@arapiraca.ufal.br

Carla Souza dos Anjos, Universidade Federal de Alagoas - UFAL, Arapiraca, Brasil

0000-0002-8403-9943; Universidade Federal de Alagoas,  campus Arapiraca, Bachelor 's Nursing Course. Arapiraca, AL, Brasil. E-mail: carla.anjos@arapiraca.ufal.br

Carla Eduarda Silva da Fonseca, Universidade Federal de Alagoas - UFAL, Arapiraca, Brazil

0000-0002-8466-1042; Universidade Federal de Alagoas,  campus Arapiraca, Bachelor 's Nursing Course. Arapiraca, AL, Brasil. E-mail: caio.melo@arapiraca.ufal.br

Julye Larisse Lemos Melo, Universidade Federal de Alagoas - UFAL, Arapiraca, Brazil

0009-0006-0846-2631; Universidade Federal de Alagoas,  campus Arapiraca, Bachelor 's Nursing Course. Arapiraca, AL, Brasil. E-mail: julye.melo@arapiraca.ufal.br

Claude Marise dos Santos Silva, Universidade Federal de Alagoas , UFAL, Arapiraca, Brasil

0000-0002-6534-2701; Universidade Federal de Alagoas,  campus Arapiraca, Bachelor 's Nursing Course.. Arapiraca, AL, Brasil. E-mail: claude.silva@arapiraca.ufal.br

Thayse Gomes de Almeida, Universidade Federal de Alagoas - UFAL, Arapiraca, Brazil

0000-0001-8747-023x; Universidade Federal de Alagoas,  campus Arapiraca, Bachelor 's Nursing Course.  Arapiraca, AL, Brasil. E-mail: thaysegalmeida@gmail.com

Referências

Andrade L (2022). Violência contra a mulher aumentou durante a pandemia. Observatório do terceiro setor, 2022. Disponível em: https://observatorio3setor.org.br/noticias/violencia-contra-a-mulher-aumentou-durante-a-pandemia/. Acesso em: 06 de jul. de 2023.

Antunes, J. L. F.; CARDOSO, M. R. A (2015). Uso da análise de séries temporais em estudos epidemiológicos. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 24, p. 565-576.

Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006. (Lei Maria da Penha). Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Brasília, DF.

Brasil. Ministério da Saúde. Banco de dados do Sistema Único de Saúde-DATASUS. Disponível em http://www.datasus.gov.br. Acesso em 30 de jun. de 2023.

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde: Sistema de Informação de Agravos de Notificação. DATASUS 2020. Disponível em: <http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/menu_tabnet_php.htm>. Acesso em: 06 de jul. de 2023.

Brasil. Ministério da Saúde. IBGE. Pesquisa nacional de saúde: 2019 : acidentes, violências, doenças transmissíveis, atividade sexual, características do trabalho e apoio social : Brasil / IBGE, Coordenação de Trabalho e Rendimento. - Rio de Janeiro : IBGE, 2020.

Bravin Setubal, C., Santos Wolff, L. D., Stroher, L. M. C., Blanco-Vieira, T., & Costa, L. F. (2019). “Não pode ser abuso... eu sou a mãe”: ofensa sexual materna. Revista de psicología (Santiago), 28(1), 92-103.

BUENO, Samira. Violência contra as mulheres em 2021. Fórum de Segurança Pública. Brasília, 2021.

Dantas, B. L. L., Bezerra, S. F., Batista, J. F. C., Menezes, M. O., & Prado, L. O. M. (2022). ANÁLISE TEMPORAL DOS CASOS NOTIFICADOS DE VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A MULHER NO BRASIL. Caderno de Graduação-Ciências Biológicas e da Saúde-UNIT-SERGIPE, 7(2), 95-95.

De Araujo, R. P., da Silva Sousa, F. M., Feitosa, V. C., Coêlho, D. M. M., & de Fatima Almeida, M. (2014). Perfil sociodemográfico e epidemiológico da violência sexual contra as mulheres em Teresina/Piauí. Revista de Enfermagem da UFSM, 4(4), 739-750.

Delziovo, C. R., Coelho, E. B. S., d'Orsi, E., & Lindner, S. R. (2018). Violência sexual contra a mulher e o atendimento no setor saúde em Santa Catarina–Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 23, 1687-1696.

Engel, C. L (2020). A Violência contra a mulher. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea): Sociedade. Participação Social. Controle Social: Capítulos de Livros. Organizadoras: Natália Fontoura, Marcela Rezende, Ana Carolina Querino – Brasília: Ipea, 2020. Disponível em: https://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/10313. Acesso em: 17 de jul. de 2023.

Facuri, C. D. O., Fernandes, A. M. D. S., Oliveira, K. D., Andrade, T. D. S., & Azevedo, R. C. S. D. (2013). Violência sexual: estudo descritivo sobre as vítimas e o atendimento em um serviço universitário de referência no Estado de São Paulo, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 29, 889-898.

Furniss, T. (1993). Abuso sexual da criança: uma abordagem multidisciplinar, manejo, terapia e intervençäo legal. In: Abuso sexual da criança: uma abordagem multidisciplinar, manejo, terapia e intervençäo legal. p. 337-337.

Gomes, N. P., de Almeida, L. C. G., Campos, L. M., de Santana, J. D., de Jesus, R. B., da Silva Santos, J. M., & dos Santos Mascarenhas, R. N. (2021). Vulnerabilidade de mulheres ao estupro marital: reflexões a partir do contexto da pandemia da Covid-19. Ciência, Cuidado e Saúde, 20.

Habigzang, L. F., Koller, S. H., Azevedo, G. A., & Machado, P. X. (2005). Abuso sexual infantil e dinâmica familiar: aspectos observados em processos jurídicos. Psicologia: teoria e pesquisa, 21, 341-348.

Justino, L. C. L., Ferreira, S. R. P., Nunes, C. B., Barbosa, M. A. M., Gerk, M. A. D. S., & Freitas, S. L. F. D. (2011). Violência sexual contra adolescentes: notificações nos conselhos tutelares, Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil. Revista gaúcha de enfermagem, 32, 781-787.

Kataguiri, L. G., Scatena, L. M., Rodrigues, L. R., & Castro, S. D. S. (2019). Caracterização da violência sexual em um estado da região sudeste do Brasil. Texto & Contexto-Enfermagem, 28.

Miranda, M. H. H., Fernandes, F. E. C. V., Melo, R. A. D., & Meireles, R. C. (2020). Violência sexual contra crianças e adolescentes: uma análise da prevalência e fatores associados. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 54.

Oliveira, C. A. B. D., Alencar, L. N. D., Cardena, R. R., Moreira, K. F. A., Pereira, P. P. D. S., & Fernandes, D. E. R. (2019). Perfil da vítima e características da violência contra a mulher no estado de Rondônia-Brasil. Revista Cuidarte, 10(1).

OMS. Prevenção da violência sexual e da violência pelo parceiro íntimo contra a mulher: ação e produção de evidência (2010). Disponível em: https://iris.paho.org/bitstream/handle/10665.2/3661/Prevencao%20da%20violencia%20sexual%20e%0parceiro%20intimo.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 08 de set. de 2023.

Trentin, D., Vargas, M. A. D. O., Brehmer, L. C. D. F., Vargas, C. P., Schneider, D. G., & Leal, S. M. C. (2019). The perspective of professionals in relation to the care given to women in situations of sexual violence: perspective of the universal declaration of bioethics and human rights. Texto & Contexto-Enfermagem, 28, e20180083.

Viana, V. A. O., Madeiro, A. P., Mascarenhas, M. D. M., & Rodrigues, M. T. P. (2022). Tendência temporal da violência sexual contra mulheres adolescentes no Brasil, 2011-2018. Ciência & Saúde Coletiva, 27, 2363-2371.

Publicado

2024-01-29

Como Citar

Leite Oliveira Melo, C. H., Anjos, C. S. dos, Silva da Fonseca, C. E., Melo, J. L. L., dos Santos Silva, C. M., & Almeida, T. G. de. (2024). Perfil epidemiológico de violência sexual contra mulher no ambiente doméstico em Alagoas, 2012-2022. Diversitas Journal, 9(1). https://doi.org/10.48017/dj.v9i1.2812