Fenologia de espécies vegetais arbóreas em um fragmento de caatinga em Santana do Ipanema, AL, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v3i1.566

Resumo

RESUMO: A fenologia pode ser definida como a avaliação dos eventos periódicos da vida de uma planta, sendo esses vegetativos e reprodutivos e comparando eles com fatores bióticos e abióticos. Dessa forma, objetivou-se com este trabalho descrever o período e o sincronismo das fenofases de espécies vegetais arbóreas. Assim esse estudo fenológico foi realizado na Reserva de Patrimônio Particular Tocaia em Santana de Ipanema, Alagoas, onde foram realizadas observações mensais de 5 espécies arbóreas, levando em consideração as seguintes fenofases: brotamento, queda foliar, floração e frutificação. Foi utilizado dois métodos de avaliação fenológica (índice de intensidade e taxa de sincronia). Assim, foi constatado alto índice de intensidade para brotamento e queda foliar, como também se apresentaram com alta sincronia, e essas fenofases são antagônicas, pois são dependentes da disponibilidade hídrica. Em relação as fenofases reprodutivas, as matrizes se mostraram constantes durante todo estudo, com baixa intensidade e assincrônicas, devido à baixa quantidade de frutos produzidos por elas.

 

Palavras-chave: Fenofase, Intensidade, Sincronia.

 

 

ABSTRACT: The phenology can be defined as the evaluation of periodic events of the life of a plant, and these events can be vegetative and reproductive and their interaction with biotic and abiotic factors. In this way, the objective of this work was to describe the period and the synchronism of the phenophases of arboreal plant species. Thus, this phenological study was conducted in the Private Equity Reserve Stakeout in Santana de Ipanema, Alagoas, where monthly observations of five tree species were made. It was taken into account the following phenophases: budding, leaf fall, flowering and fruiting. It used two methods of phenological evaluation (intensity index and sync rate). Thus, it was found high intensity index for budding and leaf fall, but also presented with high synchrony, and these phenophases are antagonistic, as they are dependent on water availability. Regarding reproductive phenophases, the dies showed constant throughout the study, with low intensity and asynchronous due to the low number of fruits produced by them.

 

Keywords: Phenophase, Intensity, Sync.

Biografia do Autor

Wandklebson Silva da Paz, Universidade Estadual de Alagoas - UNEAL

Graduando em Ciências Biológicas (8º Período) pela Universidade Estadual de Alagoas - UNEAL. Tem experiência como Monitor do Programa Pré-Enem da Universidade Estadual de Alagoas (2015); Professor Substituto de Ciências na Escola Municipal de Educação Básica Sagrada Família (2016) e como Professor de Biologia pelo Divino Cursos (2017). Tem experiência na área de Ecologia atuando principalmente com Fenologia de plantas arbóreas e na área de Parasitologia atuando na análise de amostras de fezes pelo método de Kato-Katz. Tem interesse em Biologia Celular e Molecular, Parasitologia, Bioquímica e Genética. Atualmente é bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência - PIBID; voluntário do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - PIBIC/FAPEAL; Monitor voluntário da disciplina de Genética no curso de Ciências Biológicas e Monitor de Biologia do Programa Pré-ENEM pela UNEAL

Jefferson Thiago Souza, Universidade Estadual do Ceará

Graduado em Ciências Biológicas (2008) pela Universidade Regional do Cariri (URCA/Crato), com mestrado (2010) e doutorado (2014) em Botânica (área de concentração: Ecologia dos Ecossistemas) pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE/ Recife). Atuou como docente na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e na Universidade Estadual de Alagoas (UNEAL). Atualmente é professor da Universidade Estadual do Ceará (UECE/FECLI) e atua nas diferentes esferas universitárias. Na perspectiva do ensino, ministra disciplinas da área de Ecologia no curso de Graduação em Ciências Biológicas, desenvolvendo estratégias ativas de ensino-aprendizagem com foco principal na Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL) aplicada a Ecologia, bem como atua na formação de professores como coordenador de área do Programa de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID/UECE/CAPES). Na perspectiva da pesquisa científica, tem como interesse processos ecológicos chave envolvidos na regeneração natural de ambientes semiáridos, com foco em questões relacionadas a Ecologia Funcional, Interações Ecológicas Planta-Animal, estrutura e dinâmica de ecossistemas, fatores de seleção no recrutamento de Populações e Conservação da Biodiversidade. Além de atuar como revisor de periódicos científicos nacionais e Internacionais, coordenador do grupo de pesquisa Ecologia e Conservação de Ecossistemas (ECOEM) e colaborador do Laboratório de Ecologia Vegetal de Ecossistemas Naturais da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Na esfera da administração universitária, é atualmente membro representante de campus na Câmara de Ensino Lato Sensu da PROPGPq/UECE, membro do conselho diretor da Faculdade de Educação, Ciência e Letras de Iguatu (FECLI/UECE) e está como Coordenador do Curso de Graduação em Ciências Biológicas deste mesmo campus, na gestão 2017-2019.

Referências

AMORIM, I. L.; SAMPAIO, E. V. S. B.; ARAÚJO, E. L. Fenologia de espécies lenhosas da caatinga do Seridó, RN. Revista Árvore, Viçosa, v.33, n.3, p.491-499, 2009.

BENCKE, C. S. C.; MORELLATO, L. P. C. Comparação de dois métodos de avaliação da fenologia de plantas, sua interpretação e representação. Revista Brasileira de Botânica, v.25, n.3, p.269-275, set. 2002.

BOTREL, R. T.; et. al. Fenologia de uma espécie arbórea em ecótono Caatinga / Cerrado no sul do Piauí. Revista Verde, Pombal - PB v. 10, n.3, p 07 – 12 jul-set, 2015.

EMBRAPA, Climatologia do estado de Alagoas. Disponível em: <https://www.embrapa.br/solos/buscade-publicacoes/-/publicacao/950797/ climatologia-do-estado-de-alagoas >. Acesso em 27 de julho de 2016.

FOURNIER, L. A. Un método cuantitativo para la medición de características fenológicas em árboles. Turrialba, San Jose, v.24, n.4, 1974.

JUSTINIANO, M.J.; FREDERICKSEN, T.S. Phenology of tree species in Bolivian dry forests. Biotropica, p. 276-281, 2000.

MORELLATO, L. P. C. Phenological data, networks, and research: South America. In SCHWARTZ, M. D. (Org).Phenology: an integrative environmental science. Dordrecht:Kluwer Academic Publishers, 2003, p.75-92.

NEVES, E. L.; FUNCH, L. S.; VIANA, B. F. Comportamento fenológico de três espécies de Jatropha (Euphorbiaceae) da Caatinga, semi-árido do Brasil. Revista Brasileira de Botânica, v.33, n.1, p.155-166, 2010.

NOGUEIRA, F. C. B.Fenologia de Dalbergia cearensis Ducke (Fabaceae) em um fragmento de floresta estacional, no semiárido do Nordeste, Brasil. Revista Árvore, v.37, n.4, p.657-667, 2013.

SCHAIK, C. P. V.; TERBORGH, J. W.; WRIGHT, S. J. The phenology of tropical forest: adaptative significance and consequences of consumers. Annual Review of Ecology and Systematics, v. 24, p. 353-377, 1993.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2018-03-30

Como Citar

Paz, W. S. da, & Souza, J. T. (2018). Fenologia de espécies vegetais arbóreas em um fragmento de caatinga em Santana do Ipanema, AL, Brasil. Diversitas Journal, 3(1), 39–44. https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v3i1.566

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)