Distribuição diamétrica de indivíduos arbóreos adultos e regenerantes em área de Caatinga em processo de recuperação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48017/dj.v7i1.2002

Palavras-chave:

Área degradada, Pioneiras, Regeneração natural

Resumo

Este estudo teve como objetivo determinar a distribuição diamétrica dos indivíduos arbóreos e regenerantes em área de Caatinga em processo de recuperação. O trabalho foi desenvolvido na fazenda NUPEARIDO, Patos – PB, onde indivíduos adultos das espécies Mimosa tenuiflora e Cnidoscolus quercifolius foram plantados em 2008 e em 2014, as secundárias Handroanthus impetiginosus e Amburana cearensis. Foi realizada a medição do diâmetro ao nível do peito (DAP) e ao nível do solo (DNS), para os arbóreos e regenerantes de ambas as espécies, respectivamente. Também observou-se a mortalidade das espécies secundárias e o teor de umidade do solo ao longo dos meses do ano. Os resultados mostraram que os indivíduos arbóreos de ambas as espécies pioneiras encontram-se centrados na classe de diâmetro II (12-22 cm). Quanto aos regenerantes, o maior número de indivíduos encontra-se na classe de diâmetro I (0,2-12 mm) para a Mimosa tenuiflora e classe II (12 – 22 mm) para a Cnidoscolus quercifolius. Constatou-se a alta mortalidade das espécies secundárias. Os maiores diâmetros foram encontradas nas primeiras classes diamétricas, em que as condições climáticas podem estar relacionadas ao desenvolvimento das espécies e o processo de regeneração em área em processo de recuperação requer tempo para sua adaptação às condições do local.

ABSTRACT: This study aimed to determine the diameter distribution of arboreal and regenerating individuals in an area of Caatinga in recovery process. The work was developed at the NUPEARIDO farm, Patos – PB, where adult individuals of the species Mimosa tenuiflora and Cnidoscolus quercifolius were planted in 2008 and in 2014, the secondary Handroanthus impetiginosus and Amburana cearensis. Diameter measurements were performed at breast level (DBH) and at ground level (DNS), for the trees and regenerants of both species, respectively. Mortality of secondary species and soil moisture content were also observed over the months of the year. The results showed that the arboreal individuals of both pioneer species are centered in the diameter class II (12-22 cm). As for regenerants, the largest number of individuals is found in diameter class I (0.2-12 mm) for Mimosa tenuiflora and class II (12 – 22 mm) for Cnidoscolus quercifolius. The high mortality of secondary species was found. The largest diameters were found in the first diametric classes, in which the climatic conditions may be related to the development of the species and the regeneration process in an area undergoing recovery requires time to adapt to local conditions.

Referências

ALMEIDA, F. C. P. Estrutura e Regeneração Natural em Remanescente de Caatinga sob Manejo Florestal, Cuité-PB. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais), Centro de Saúde e Tecnologia Rural (CSTR) – Universidade Federal de Campina Grande, Patos-PB, 110 p., 2018;

ALVARES, C. A.; STAPE, J. L.; SENTELHAS, P. C.; GONÇALVES, J. L. M.; GERD SPAROVEK, G. Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeit, Stuttgart, Alemanha, v. 22, n. 6, p. 711-728, 2014; DOI: https://doi.org/ 10.1127/0941-2948/2013/0507;

ALVES, L. L. B.; ALVES, A. R.; BARRETO, F. R. S.; HOLANDA, A. C. Análise florística e estrutural de uma área de Caatinga preservada no município de Mossoró/RN. Revista Conexão Ciência e Tecnologia, v. 11, n. 1, p. 8-15, 2017. DOI: https://doi.org/10.21439/conexoes.v11i1.1066;

AZEVÊDO, S. A.; BAKKE, I. A.; BAKKE, O. A.; FREIRE, A. L. O. Crescimento de plântulas de jurema preta M. tenuiflora (Wild) Poiret em solos de áreas degradadas da Caatinga. Revista Engenharia Ambiental, v. 9, n. 3, p. 150-160, 2012;

CALIXTO JÚNIOR, J. T.; DRUMOND, M. A.; ALVES JÚNIOR, F. T. Estrutura e distribuição espacial de Mimosa tenuiflora (willd.) Poir. em dois fragmentos de Caatinga em Pernambuco, Revista Caatinga, v. 24, n. 2, p. 95-100, 2011;

COMITÊ TÉCNICO CIENTÍFICO DA REDE DE MANEJO FLORESTAL DA CAATINGA. Protocolo de Medições de Parcelas Permanentes. Recife: Associação de Plantas do Nordeste; Brasília: MMA, PNF, PNE. 21 p., Brasil, 2005;

GALVÃO, A. P. M. e SILVA, V. P. Restauração Florestal: Fundamentos e estudos de caso. Colombo-PR, Embrapa Florestas, 1 ED. 139 p., 2005;

GOMES, D. L.; SILVA, A. P. L.; ARAÚJO, K. D.; LIRA, E. S.; SANTOS, E. M. C.; COSTA, J. G. Exploração da Caatinga em assentamentos rurais do Semiárido alagoano. Revista O Espaço Geográfico Em Análise, v. 45, n.1, p.142-152, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v45i1.51476;

HENRIQUES, I. G. N.; SOUTO, J. S.; SOUTO, P. C. SANTOS, W. S.; HENRIQUES, I. G. N.; LIMA, T. S. Acúmulo, deposição e decomposição de serrapilheira sob a dinâmica vegetacional da Caatinga em Unidade de Conservação. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 11, n.1, p. 84-89, 2016. DOI: https://doi.org/10.18378/rvads.v11i1.4523;

INMET- Instituto Nacional de Meteorologia. 2018. Disponível em< https://portal.inmet.gov.br/> acesso em 12 de Novembro de 2021.

KLEIN, R. M. Ecologia da flora e vegetação do Vale do Itajaí. Sellowia, v. 32, p. 165-389, 1980;

MACEDO, W. S.; SILVA, L. S.; ALVES, A. R.; MARTINS, A. R. Análise do componente arbóreo em uma área de ecótono Cerrado-Caatinga no sul do Piauí, Brasil, Revista Scientia Plena, v. 15, n.1, p. 1-12, 2019. DOI: https://doi.org/10.14808/sci.plena.2019.010201;

MAIA, J. M.; SOUSA, V. F. O.; LIRA, E. H. A.; LUCENA, A. M. A. Motivações socioeconômicas para a conservação e exploração sustentável do bioma Caatinga. Revista Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 41, p. 295-310, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/dma.v41i0.49254;

MEDEIROS, F. S.; SOUZA, M. P.; CERQUEIRO, C. L.; ALVES, A. R.; SOUZA, M. S.; BORGES, C. H. A. Florística, fitossociologia e modelagem da distribuição diâmétrica em um fragmento de Caatinga em São Mamede-PB, Revista ACSA - Agropecuária Científica no Semiárido, v. 14, n. 2, p. 85-95, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.30969/acsa.v14i2.900;

MELO, C. L. S. M. S.; FERREIRA, R. L. C.; SILVA, J. A. A.; MACHUCA, M. A.; CESPEDES, G. H. G. Dynamics of dry tropical forest after three decades of vegetation suppression, Journal Forest and Environment, v. 26, n. 3, p. 1-12, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/2179-8087.116317;

MENEZES, J. A. L.; SANTOS, T. E. M.; MONTENEGRO, A. A. A.; SILVA, J. R. L. Comportamento temporal da umidade do solo sob Caatinga e solo descoberto na Bacia Experimental do Jatobá, Pernambuco. Journal Water Resources and Irrigation Management, v. 2, n.1, p. 45-51, 2013;

PARENTE, H. N.; SILVA, D. S.; ANDRADE, A. P.; SOUZA, E. S.; ARAÚJO, K. D.; MAIA, M. O. Impacto do pisoteio caprino sobre atributos do solo em área de caatinga, Revista Brasileira Saúde Produção Animal, v. 11, n. 2, p. 331-341, 2010;

PEREIRA JÚNIOR, L. R.; ANDRADE, A. P.; ARAÚJO, K. D. Composição florística e fitossociológica de um fragmento de Caatinga em Monteiro, PB. Revista Holos, v. 6, p. 73-87, 2012. DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2012.1188;

PEREIRA, J. S.; RODRIGUES, S. C. Crescimento de espécies arbóreas utilizadas na recuperação de área degradada. Revista Caminhos da Geografia, v. 13, n. 41, p. 102-110, 2012;

PERH-PB. Plano Estadual de Recursos Hídricos. João Pessoa-PB: Secretaria Estadual de Recursos Hídricos. Disponível em CD - Rom. 2006;

RIBEIRO, T. O.; BAKKE, I. A.; SOUTO, P. C.; BAKKE, O. A.; LUCENA, D. S. Diversidade do banco de sementes em diferentes áreas de Caatinga manejadas no Semiárido da Paraíba, Brasil. Revista Ciência Florestal, v. 27, n. 1, p. 203-213, 2017. DOI: https://doi.org/10.5902/1980509826459;

SANTOS, T. E. M.; MONTENEGRO, A. A. A.; SILVA, D. D. Umidade do solo no semiárido pernambucano usando-se reflectometria no domínio do tempo (TDR). Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 15, v. 7, p. 670–679, 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-43662011000700004;

SANTOS, M. R.; BARBOSA, A. C. M. C.; ALMEIDA, H. S.; VIEIRA, F. A.; SANTOS, P. F.; CARVALHO, D. A.; OLIVEIRA FILHO, A. T. Estrutura e florística de um remanescente de Caatinga arbórea em Juvenília, norte de Minas Gerais, Brasil. Revista CERNE, v. 17, n. 2, p. 247-258, 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-77602011000200013;

SILVA, J. E. R. Estudo da dispersão de sementes, banco de sementes e regeneração natural de três espécies arbóreas da Caatinga. Monografia, Engenharia florestal, Universidade Federal de Campina Grande, Patos-PB, 58 p., 2010;

SILVA, L. S.; COSTA, T. R.; SALOMÃO, N. V.; ALVES, A. R.; SANTOS, T. R.; MACHADO, E. L. M. Mudanças temporais na estrutura vegetacional de um fragmento de Caatinga, sul do Piauí, Revista Scientia Plena, v. 16, n. 2, 12 p., 2020. DOI: https://doi.org/10.14808/sci.plena.2020.020203;

SOUZA, M. P. Regeneração natural em área de caatinga manejada, no Município de Cuité, no Estado da Paraíba. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais), Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Patos-PB, 110 p., 2018.

Arquivos adicionais

Publicado

2022-01-01

Como Citar

Dutra Júnior, M. P., Bakke, I. A., & Costa, E. M. da. (2022). Distribuição diamétrica de indivíduos arbóreos adultos e regenerantes em área de Caatinga em processo de recuperação. Diversitas Journal, 7(1), 0039–0051. https://doi.org/10.48017/dj.v7i1.2002