Modelização da anatomofisiologia das glândulas mamárias como estratégia para o ensino remoto de biologia

Autores

  • Lais Tener Lima UNEAL
  • Amanda Tener Lima Universidade Federal de Alagoas
  • Luciana Tener Lima UNIBTA - Instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada
  • Heloísa Barbosa Gracindo Secretaria de Estado da Educação de Alagoas
  • Adevan dos Santos Nicandido Filho Secretaria de Estado da Educação de Alagoas
  • Daniella de Souza Santos FERA - Faculdade de Ensino Regional Alternativa

DOI:

https://doi.org/10.48017/dj.v7i3.2048

Palavras-chave:

Conhecimento prévio, Ensino Remoto, Modelo Didático.

Resumo

A pandemia causada pela COVID-19 desencadeou um novo panorama educacional, exigindo que os docentes mostrem eficiência e criatividade para o ensino. O ambiente virtual passou a ser o espaço de estudo e professores e estudantes tiveram que se adaptar às aulas a distância para dar continuidade às atividades escolares. O ensino de biologia se beneficia com estratégias de ensino que promovam a relação entre teoria e a prática e quando fundamentado na modelização é percebido como um eficiente recurso didático para compreensão de conceitos científicos e teóricos. Os objetivos do trabalho foram o de promover um aprofundamento de um conteúdo de biologia por meio de seu estudo prévio e a partir da construção de uma maquete evidenciando a anatomofisiologia das glândulas mamárias, de modo a facilitar a aprendizagem, possibilitando o estudo de estruturas anatômicas de difícil visualização e que fosse propiciado a reprodução tridimensional das glândulas mamárias, considerando as condições remotas de ensino. A metodologia envolveu a disponibilização prévia de conteúdo referente ao tema para promoção do debate para aprofundamento do conteúdo, a confecção síncrona de uma maquete das glândulas mamárias utilizando-se da técnica do papel machê e o uso do modelo confeccionado ocorreu numa aula acerca do câncer de mama, por uma professora de biologia. Os alunos e a professora responderam a duas questões e forneceram um feedback positivo. Ao fim do trabalho se percebeu que houve o enriquecimento do aprendizado e a aproximação do aluno na visualização e posterior identificação das glândulas mamárias

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Aversi-Ferreira, T. A., Monteiro, C. A., Maia, F. A., Guimarães, A. P. R. C., & Cruz, M. R. (2008). Estudo de neurofisiologia associado com modelos tridimensionais construídos durante o aprendizado. Bioscience Journal.

Bardin, L. (2016). Análise de conteúdo. 3ª. reimp. da 1ª. ed. de 2016. São Paulo: Edições, 70.

Brasil - Ministério da Educação. (2018) Base Nacional Comum Curricular: Caderno de Práticas - Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação: Possibilidades. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/implementacao/praticas/caderno-de-praticas/aprofundamentos/193-tecnologias-digitais-da-informacao-e-comunicacao-no-contexto-escolar-possibilidades?highlight=WyJocSJd>.

Cavalcante, B. L., & de Lima, U. T. S. (2012). Relato de experiência de uma estudante de Enfermagem em um consultório especializado em tratamento de feridas. Journal of Nursing and Health, 2(1), 94-103.

Cordeiro, K. M. D. A. (2020). O Impacto da Pandemia na Educação: A Utilização da Tecnologia como Ferramenta de Ensino.

Creswell, J. W. (2014). Investigação Qualitativa e Projeto de Pesquisa-: Escolhendo entre Cinco Abordagens. Penso Editora.

Dangelo, J. G.; Fatinni, C. A. (2002). Anatomia básica. Editora São Paulo

Delizoicov, D., Angotti, J. A., & Pernambuco, M. M. C. A. (2002). Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. Cortez.

Della Justina, L. A., & Ferla, M. R. (2006). A utilização de modelos didáticos no ensino de genética-exemplo de representação de compactação do DNA eucarioto. Arquivos do MUDI, 10(2), 35-40.

do Nascimento-Fadel, V. M., & Frasson-Costa, P. C. (2020). As contribuições da metodologia dos três momentos pedagógicos no ensino do empreendedorismo. Atos de Pesquisa em Educação, 15(1), 143-162.

Duso, L., Clement, L., Pereira, P. B., & Alves Filho, J. D. P. (2013). Modelização: uma possibilidade didática no ensino de biologia. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências (Belo Horizonte), 15, 29-44.

França, J. P. R., & Sovierzoski, H. H. (2018). Uso de modelo didático como ferramenta de ensino em Citologia. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 11(2).

Gerhardt, T. E., & Silveira, D. T. (2009). Métodos de pesquisa. Plageder. https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=dRuzRyEIzmkC&oi. Acesso em: 19 set. 2020.

Greca, I. M., & Santos, F. M. T. D. (2005). Dificuldades da generalização das estratégias de modelação em ciências: O caso da física e da química. Investigações em ensino de ciências. Porto Alegre. Vol. 10, n. 1 (2005),[15 f.].

KOVALICZN, R. A. O professor de Ciências e de Biologia frente as parasitoses comuns em escolares. Mestrado em Educação. UEPG, 1999 (Dissertação).

Matos, C. H. C., de Oliveira, C. R. F., de França Santos, M. P., & Ferraz, C. S. (2009). Utilização de modelos didáticos no ensino de entomologia. Revista de biologia e ciências da terra, 9(1), 19-23.

Moran, J. (2018). Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 02-25.

Oliveira, B. L. C. A. D., Lima, S. F., Rodrigues, L. D. S., & Pereira Júnior, G. A. (2018). Team-based learning como forma de aprendizagem colaborativa e sala de aula invertida com centralidade nos estudantes no processo ensino-aprendizagem. Revista brasileira de educação médica, 42, 86-95. http://www.scielo.br/pdf/rbem/v42n4/1981-5271- bem-42-4-0086.pdf

Orlando, T. C., Lima, A. R., Da Silva, A. M., Fuzissaki, C. N., Ramos, C. L., Machado, D., ... & Thales De Astrogildo, E. T. (2009). [BDC] Planejamento, montagem e aplicação de modelos didáticos para abordagem de Biologia Celular e Molecular no Ensino Médio por graduandos de Ciências Biológicas.

Quintairos, P., Elisei, C. D. C. A., & Velloso, V. F. (2021). Síncrono e Assíncrono. Revista de Pesquisa Aplicada e Tecnologia (REPATEC), 3(04), 33-44.

Santos, H. S. (2018). Glândulas Mamarias. https://m.biologianet.uol.com.br/amp/anatomia-fisiologia-animal/glandulas-mamarias.htm.

Setúval, F. A. R., & Bejarano, N. R. R. (2009). Os modelos didáticos com conteúdo de genética e a sua importância na formação inicial de professores para o ensino de ciências e biologia. Encontro Nacional de pesquisa em Educação em Ciências, 7.

Silva, A. C. S. D. (2014). O ensino de zoologia dos vertebrados para alunos do 7º ano do ensino fundamental em escolas públicas do município de Cruz das Almas, Bahia.

Silva, L. h. de A. & Zanon, L. B. (2019). Ensino de Ciências: fundamentos e abordagens. UNIMEP

Spalding, M., Rauen, C., de Vasconcellos, LMR, da Cruz Vegian, MR, Miranda, KC, Bressane, A., & Salgado, MAC (2020). Desafios e possibilidades para o ensino superior: uma experiência brasileira em tempos de COVID-19. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, 9 (8)

Valente, J. A. (2014). Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em revista, 79-97. <https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/38645/24339 >.

Varella, M. (2016). Mama. https://drauziovarella.uol.com.br/corpo-humano/mama/

Arquivos adicionais

Publicado

2022-07-02

Como Citar

Tener Lima, L., Tener Lima, A., Tener Lima, L., Barbosa Gracindo, H. ., dos Santos Nicandido Filho, A., & de Souza Santos, D. (2022). Modelização da anatomofisiologia das glândulas mamárias como estratégia para o ensino remoto de biologia. Diversitas Journal, 7(3). https://doi.org/10.48017/dj.v7i3.2048

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.