Mediação de ensino por meio do aplicativo WhatsApp: reflexões pibidianas

Autores

  • Ariane Regina Ribeiro Sapucaia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas (Ifal)
  • Cleonice Maria Ferreira de Carvalho do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas (Ifal)
  • Joel Marcos da Silva Santos IFAL
  • Ricardo Jorge de Sousa Cavalcanti do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas (Ifal)
  • Maria de Fátima das Montanhas Avelino

DOI:

https://doi.org/10.48017/dj.v7i3.2272

Palavras-chave:

Iniciação à docência,, Experiência, Educação transformadora, Pandemia, Exclusão social

Resumo

Tendo em vista que a pandemia da Covid -19 ocasionou o ensino remoto após o fechamento das escolas, desafiando os/as estudantes e os/as professores/as com a “nova” realidade de ensino, pesquisa-se sobre o Pibid e a (re)afirmação educacional como símbolo de resistência e mudança, a fim de analisarmos as implicações da medida emergencial nesse processo pedagógico. Para tanto, é imprescindível refletir sobre os desafios e a resistência de estudantes no atual contexto; e avaliar como as consequências do ensino remoto aprofundam e refletem problemas existentes. Como metodologia, realiza-se uma pesquisa de base exploratória, com o auxílio de procedimentos bibliográficos e documentais, com o propósito de investigar e apresentar, por meio do olhar dos bolsistas do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid), as mudanças e o impacto educacional em meio à situação vivenciada. Como corpus, tem-se a coleta e a análise de dados para responder ao problema de pesquisa, bem como conceitos discutidos nos planos de trabalho do Pibid. Diante disso, verificam-se os resultados encontrados como relevantes a (re)conhecer as especificidades e a vulnerabilidade social desses/as estudantes, o que impõe a constatação de uma privação coletiva do acesso e uso das plataformas virtuais.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Bagno, M. (2010). Sobre peixes e linguagem. In Análise de textos: fundamentos e práticas (vol.1 pp. 11–12). Parábola Editorial.

Bakhtin, M. (1997). Os gêneros do discurso. In Estética da criação verbal (M. E. G. G. Pereira, Trad.; 2a ed., pp. 279–289). Martins fontes.

CAPES debate editais para formação de professores. (2022, 18 de fevereiro). Gov.br. https://www.gov.br/capes/pt-br/assuntos/noticias/capes-debate-editais-para-formacao-de-professores

Freire, P. (1992). Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Paz e Terra. https://www.finom.edu.br/assets/uploads/cursos/categoriasdownloads/files/20190628210617.pdf

Gatti, B. A. (2013). Educação, escola e formação de professores: políticas e impasses. Educar Em Re-vista, v. (50), 51–67. https://doi.org/10.1590/s0104-40602013000400005

Gatti, B. A., Barretto, E. S. d. S., André, M. E. D. A. d., & Almeida, P. C. A. d. A. (2019). Professores do Brasil: Novos cenários de formação. Unesco.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social (6ª ed.). Atlas.

Lüdke, M.; & André, M. E. D. A. (2013). Pesquisa em educação: uma abordagem qualitativa (2ª ed.). EPU.

Ministério da Educação. (2017). Base comum curricular. Fundação Carlos Alberto Vanzolini, Gestão de Tecnologias em Educação. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/

Moran, J. M., Masetto, M. T., & Behrens, M. A. (2006). Novas tecnologias e mediação pedagógica (10ª ed.). Papirus.

Nóvoa, A. (2002). Formação de professores e trabalho pedagógico. Educa.

Portaria nº 343/2020 do Ministério da Educação e Cultura. (2020). Diário Oficial da União: I Seção. https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-343-de-17-de-marco-de-2020-248564376

Rojo, R., & Barbosa, J. (2015). Gêneros do discurso, Multiletramentos e hipermodernidade. In Hipermodernidade, Multiletramentos e gêneros discursivos (pp. 115–145). Parábola.

Arquivos adicionais

Publicado

2022-07-02

Como Citar

Ribeiro Sapucaia, A. R., Ferreira de Carvalho, C. M., da Silva Santos, J. M., de Sousa Cavalcanti, . R. J., & das Montanhas Avelino, M. de F. (2022). Mediação de ensino por meio do aplicativo WhatsApp: reflexões pibidianas . Diversitas Journal, 7(3). https://doi.org/10.48017/dj.v7i3.2272

Edição

Seção

Dossiê Temático- Relatos de experiências no âmbito do PIBID e PRP

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.